ARM agora diz que continuará fornecendo tecnologia de chips para a Huawei

A guerra comercial entre os Estados Unidos e a China trouxe caos à indústria de tecnologia. Até algumas empresas fora dos EUA decidiram parar de fazer negócios com a Huawei - a ARM é uma das primeiras. A fabricante japonesa de chips, mas com sede no Reino Unido, interrompeu o licenciamento de sua tecnologia para a Huawei logo após Trump proibir as empresas americanas de trabalharem com a Huawei. A Ordem Executiva foi emitida no dia 15 de maio, e a ARM confirmou que parou de negociar com a Huawei no dia 22 de maio. No entanto, agora parece que a ARM está reconsiderando sua decisão.

Como você provavelmente já sabe, a Huawei usa chipsets Kirin, desenvolvidos por sua subsidiária HiSilicon, para seus dispositivos. Embora a Huawei seja responsável pelo design específico do sistema no chip, o ARM cria a arquitetura que a Huawei está licenciando. Não é preciso dizer que a hesitação da ARM em fornecer tecnologia de chips para a Huawei afetaria drasticamente o futuro projeto de SoC da empresa. Todos os SoCs mais recentes da Huawei, incluindo o chip Kirin 990 5G, são baseados na arquitetura ARM. Devido ao fato de a ARM também operar em alguns escritórios localizados nos EUA, a ARM interrompeu seus negócios com a Huawei para avaliar se seus designs de chips incluíam "tecnologia de origem americana" suficiente para se qualificar sob a proibição comercial.

Após meses de confusão, parece que a equipe jurídica da ARM finalmente decidiu que o relacionamento comercial da empresa com a Huawei não violará a proibição comercial dos EUA. Em um comentário enviado à Reuters, uma porta-voz da ARM confirmou que "as v8 e v9 da ARM são tecnologias de origem no Reino Unido", posteriormente dizendo também que a empresa continuará desenvolvendo para a Huawei. Isso facilita muito o processo de fabricação e produção da Huawei, pois eles estão se esforçando para se tornar o fabricante número 1 de smartphones no mundo. Você pode ler nosso artigo anterior sobre a decisão da ARM de ter uma idéia da situação complicada.


Fonte: Reuters